jusbrasil.com.br
24 de Janeiro de 2019
    Adicione tópicos

    Edson Brum homenageia os 100 anos do Esporte Clube Cruzeiro

    O deputado Edson Brum (PMDB) utilizou a tribuna, no Grande Expediente da sessão plenária dessa quarta-feira (10), para homenagear os 100 anos do Esporte Clube Cruzeiro, fundado em 14 de julho de 1913. Entre as conquistas, o Cruzeiro foi campeão citadino (1918, 1919 e 1929) e campeão estadual em 1929.

    O parlamentar iniciou a sua homenagem resgatando a história do Esporte Clube Cruzeiro, iniciada em 14 de julho de 1913. Ele lembrou que a agremiação teve seu primeiro estádio na Vila Cruzeiro, Estrada do Mato Grosso, hoje Avenida Bento Gonçalves, no bairro Partenon, e que, em 1920, mudou-se para o Caminho do Meio, no local onde funciona hoje o Hospital de Clínicas, em Porto Alegre.

    Nos anos de 1918, 1919 e 1929, o Cruzeiro sagrou-se campeão citadino de Porto Alegre, sendo que, ainda em 1929, foi campeão estadual, derrotando o Guarany de Bagé na final da competição, por 1x0. Na década de 1940, o Cruzeiro fez um grande esforço para crescer e, graças as ações dos seus dirigentes e torcedores, em 7 de março de 1941, inaugurou o Estádio da Montanha no Bairro Medianeira. "Na estreia, derrotou o São Paulo (SP) por 1x0, num espetacular gol de Gervásio, sob os olhares de mais de 20 mil pessoas, que presenciaram um fato histórico no maior estádio de futebol da época, na cidade de Porto Alegre", lembrou o parlamentar.

    Edson Brum também destacou como importante o fato de que, 1944, o Cruzeiro contratou o técnico húngaro Emerich Hirschl, que trouxe consigo a famosa dupla de atacantes italianos – Enrique Flamini e Alejandro José Lombardini – que haviam atuado pela Seleção Nacional, como também na Argentina e Lázio da Itália. Outro fato da história do Cruzeiro foi quando a sua camiseta foi usada em uma Copa do Mundo de Futebol, em 1950, num enfrentamento entre o México e Suíça, partida disputada em Porto Alegre.

    Excursão vitoriosa

    O orador do Grande Expediente registrou que, em 1953, o Cruzeiro foi jogar na Europa, Ásia e Oriente Médio, sendo o primeiro clube do Rio Grande do Sul a jogar fora de seu território. Depois de 11 dias viajando de navio, estreou num jogo contra o Real Madrid, empatando em 0x0. Na época, o Real era tido como o melhor e mais forte time da Europa.

    Na excursão, o Cruzeiro jogou contra times considerados na época muito grandes e bons, como Lázio, Fenerbahçe, Besiklas e Galatasaray, além da Seleção de Israel e Turquia. O desempenho foi altamente positivo, tendo jogado 15 partidas, vencendo 7, empatando 4 e perdendo outras 4. Marcou 28 gols e sofreu 20. Um aproveitamento de 55,55%.

    Em 25 de março de 1960, o Cruzeiro voltou a jogar na Europa e Ásia contra times como Sevilla, Spielvereinigung Bayern Hof – time da 1ª divisão alemã – além de várias outras equipes famosas na época. O treinador era Carlos Fröner e a equipe estrelada visitou 11 países: Bulgária, Áustria, Iugoslávia, Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Tchecolosváquia, Suécia, Dinamarca e Holanda. Nessa excursão, conquistou o título do Torneio de Páscoa de Berlim, sendo o primeiro Clube gaúcho a conquistar um título Intercontinental de futebol.

    Em 1961, o Cruzeiro conquistou o Torneio Internacional de Mar del Plata, na Argentina. Em 1970, foi campeão da Copa Governador do Estado do Rio Grande do Sul, na primeira edição da Copa Federação Gaúcha de Futebol.

    O último jogo realizado na Montanha ocorreu no dia 8 de novembro de 1970, num confronto contra o Liverpool do Uruguai, que foi vencido por 3x2. Ainda em 1970, o Clube construiu o Estádio Estrelão, no final da Avenida Protásio Alves, que foi inaugurado em 1977. Despediu-se deste estádio em 2012, num jogo contra um combinado de gaúchos, vencendo os mesmos por 1x0. Em 2010, o Cruzeiro conquistou o Campeonato da Segunda Divisão, retornando à Primeira Divisão do futebol gaúcho.

    Edson Brum sublinhou que, atualmente, o Cruzeiro Esporte Clube está construindo seu novo estádio em Cachoeirinha, padrão FIFA, com capacidade para mais de 16 mil torcedores, estando entre os mais modernos estádios do Rio Grande do Sul. Ele também salientou que o Cruzeiro é o único Clube gaúcho a sagrar-se campeão nas modalidades de futebol, basquete, futebol de salão e vôlei.

    Um clube multicampeão

    "Aqui ainda é oportuno e apropriado dizer, que o Esporte Cruzeiro além dos títulos de futebol conquistados ao longo dos seus 100 anos de existência, foi campeão por 12 vezes no Basquete, disputando a Taça Brasil em 1968. No futebol de salão duas vezes campeão Série Prata e uma vez no Campeonato Gaúcho de Vôlei em 1972", referiu o deputado.

    O Cruzeiro também conquistou títulos estaduais no atletismo e no boxe, sendo que, em 2011, foi Campeão Gaúcho de Futebol Sete, competição oficial pela Federação Gaúcha de Futebol Sete. Ainda foi o primeiro time gaúcho a vencer o Internacional no Estádio Beira Rio, no dia 1º de maio de 1970, por um escore de 1x0. E, no dia 28 de março desse ano, foi o primeiro time brasileiro a vencer o Grêmio em seu novo estádio, a Arena, pelo placar de 2x1.

    O parlamentar peemedebista fez uma menção especial aos presidentes do Cruzeiro Esporte Clube e, de modo particular, Arthur do Canto Junior, seu fundador em 1913, e mais 62 ex-presidentes, sendo que atualmente é comandado pelo Dirceu Antonio Castro. "A todos eles a nossa homenagem, mesmo para aqueles que já faleceram, sendo tributada tal gratidão aos seus descendentes", frisou Edson Brum.

    O deputado também citou alguns dos grandes jogadores que passaram pelo Cruzeiro, como Chico, Espir, Hugo, Totte e Salatino, Ferreira, Torres, Nestor, Germano e Campão, Gervásio, Juvenal Amarijo, Clóvis, Flamine e Lombardini, Valtão, Cláudio Leite, Levir, Nicola Silvio, Serginho, Trouxinha, Astronauta, Letiere, Geraldo, Doraci, Edson, Chico Spina, Marco Antônio, Rogerinho, Adriano, Fábio, Marcio, Leo, Claudinho, Alberto, Faísca, Diego Torres, Almir, Leo Maringá, Abuda, Leo Carioca e Jô, entre outros.

    Para Edson Brum, não é todos os dias que temos a oportunidade de homenagear um clube de futebol profissional que completa 100 anos de existência. "Um clube que graças a homens e mulheres, torcedores, jogadores, dirigentes, técnicos e sociedade, teve a alegria de ver seus sonhos tornaram-se uma palpável realidade dentro e fora dos campos".

    Muitos dos mais importantes feitos realizados pelo Cruzeiro não foram somente nos campos de futebol, sublinhou Edson Brum. Vejam que em 1914 criou as categorias inferiores (infanto-juvenil e juvenil), os “filhotes,” e não demorou muito tempo para sugerir à presidência da Liga de Futebol Porto-alegrense, que fosse organizado um campeonato só para meninos, propondo ainda a fundação da Liga Infantil de Futebol. Foi também o Cruzeiro que, em 1917, propôs a regulamentação da entrada de jogadores estrangeiros nos clubes gaúchos, a exemplo do que já ocorria em São Paulo e Buenos Aires.

    Edson Brum concluiu a sua homenagem ao Cruzeiro Esporte Clube recitando o hino da agremiação, composto por Túlio Piva. Após, foi entregue uma placa comemorativa ao clube.

    Apartes

    Manifestaram-se, em apartes, os deputados Miki Breier (PSB), Cassiá Carpes (PTB), Adolfo Brito (PP), Raul Pont (PT), Zilá Breitenbach (PSDB) e Maria Helena Sartori (PMDB).

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)