jusbrasil.com.br
27 de Setembro de 2021
    Adicione tópicos

    Liberdade de Imprensa

    Nesse 3 de maio de 2011, segundo dados das Nações Unidas, mais de 100 países deverão ter celebrado o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Instituída pela ONU em 1993, a data tem como um dos principais objetivos chamar a atenção para a garantia do princípio do acesso à informação. Mas não é só isso. As avaliações e análises, por certo, devem ter deslocado-se para outro eixo importante: a circulação da informação, a partir da internet, atingiu níveis impensados até bem pouco tempo e a questão que passa a se impor é quanto à qualidade daquilo que é jogado à cidadania.

    Entendo que este quadro exige mais atenção por parte dos profissionais de comunicação, ressalvando, sempre, que a liberdade de imprensa deve ser ampla, e garantida por quem governa. A proliferação de novas mídias, em especial os blogues e o twitter, que permitem a todos escreverem o que pensam e postarem suas ideias, ao mesmo tempo em que proporcionou esta maior participação, trouxe a possibilidade que sejam disponibilizadas na rede notícias e opiniões duvidosas. Dentro deste quadro, a responsabilidade dos jornalistas, em especial os formadores de opinião, aqueles com forte influência sobre a sociedade, cresce.

    É a liberdade de imprensa que facilita e permite os diversos olhares de uma sociedade sobre ela mesma e sobre as diferentes realidades, e a utilização, por parte dos jornalistas, das novas tecnologias à disposição consolidou a ideia de aldeia global. O terremoto no Japão e os levantes populares nos países árabes foram acompanhados quase que simultaneamente em todo o mundo, bem como o casamento real, assistido por dois bilhões de pessoas. Interessante recordar que, no Egito, as redes sociais foram responsáveis pela grande mobilização da sociedade.

    A imprensa, em qualquer democracia funcional, é central. Por isso, é tão atacada. Só uma imprensa livre disponibiliza fatos e situações que poderiam estar sendo jogadas para debaixo dos tapetes administrativos. Os que não acreditam no valor da liberdade e da democracia sempre questionarão a liberdade de expressão e darão um jeito de podá-la. A liberdade de expressão e de informação é um valor prioritário, sem o qual a democracia e o progresso não se sustentam.

    Quando alguém chega ao governo, sempre procura razões para se queixar dos meios de comunicação. Mesmo assim, é preciso ter muito claro que esta liberdade é fundamental, básica. Ainda que ela incomode (no entendimento de alguns), é necessário respeitá-la. A história mostra que as tentativas de amordaçar a imprensa, e os jornalistas, fracassaram, mesmo que isso possa ter demorado um pouco.

    *deputado estadual (PMDB)

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)