jusbrasil.com.br
20 de Setembro de 2018
    Adicione tópicos

    Temer quer destruir o Bolsa Família, afirma Tarcísio Zimmermann

    Ao utilizar a tribuna da Assembleia Legislativa, na tarde desta terça-feira (13), o deputado Tarcísio Zimmermann questionou o Governo Federal sobre a mudança no nome do Bolsa Família para Bolsa Dignidade. “O nome proposto para o programa já revela o pensamento dos golpistas em relação às pessoas pobres. As pessoas pobres para os golpistas não são dignas, por isso precisam de uma Bolsa Dignidade, como se dignidade fosse algo que se adquirisse através da renda. Eu conheço milhares e milhares de pessoas pobres que têm muito mais dignidade e honradez do que a maioria de nós que frequentamos a tribuna desta Casa”, afirmou ele.

    Para o líder partidário da bancada do PT, a mudança proposta esconde um preconceito. Tarcísio lembrou que os governos do PT já haviam instituído, há muitos anos, o cruzamento dos dados do Cadastro Único da Assistência Social com os dados do Ministério da Fazenda e com o Cadastro Geral de Emprego e Desemprego do Ministério do Trabalho. “Portanto, todos os anos o cadastro era depurado e se encontrava aqui e ali alguma inconsistência e alguma fraude. Fraudes patrocinadas por vereadores, prefeitos e secretários, porque quem inclui no cadastro não é o Governo Federal, são os governos municipais. E esses fraudadores eram excluídos sistematicamente. Agora, chegam os golpistas e fazem aquilo que o PT fazia todos os anos sem alarde e dizem que tem fraude no Bolsa Família”, revelou.

    Ele salientou também que o mesmo PMDB, aqui no Rio Grande do Sul, acabou com o programa RS Mais Igual. “Eram mais de 70 mil famílias em situação de extrema pobreza que tinham uma atenção por parte do Governo do Estado. Hoje, tem zero famílias atendidas e não há nada para colocar no lugar”, lamentou. O parlamentar petista ressaltou que o PMDB de Temer já tirou mais de 1 milhão de famílias do Bolsa Família. "Não é por acaso, portanto, o crescimento da extrema pobreza. Pelas mãos dos golpistas, o Brasil voltou a fazer parte do Mapa da Fome", criticou.

    O deputado disse ainda que as filas existem, o que não existe mais é Assistência Social no país. "O governo cortou 99% dos recursos da Atenção Social Básica. Os Centros de Referência da Assistência Social não vão mais existir, a não ser que os municípios banquem. Só a ideia de instituir uma Bolsa Dignidade já é uma indignidade porque transforma a dignidade numa mercadoria. Dignidade é uma virtude e não serão os golpistas que com esse discurso haverão de destruir as grandes conquistas e o legado civilizatório construídos pelos governos do PT”, destacou.

    © Agência de Notícias
    As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)